Ministério Público apresenta denúncia contra Zeca do PT

Procuradores acusam ex-governador de injúria e difamação por tê-los chamado de 'moleques'

João Naves, do Estadão,

06 de agosto de 2007 | 19h54

A Justiça Federal aceitou nesta segunda-feira, 6, acusação do Ministério Público Federal contra o ex-governador de Mato Grosso do Sul, José Orcírio Miranda dos Santos. Zeca do PT, como é conhecido, teria chamado os procuradores da República no Estado de "moleques". As declarações consideradas ofensivas pelo Ministério Público foram feitas em abril de 2006, quando índios acampados no distrito de Porto Cambira, município de Dourados, agrediram e mataram dois policiais civis, depois de confundi-los com capangas de fazendeiros. Na ocasião, o ex-governador teria dito que "membros do MPF agiam como moleques" por estarem defendendo os índios, segundo o procurador Charles Pessoa. Segundo o advogado de Zeca do PT, Newley Amarilla, não houve intenção de ofender quem quer que seja por parte de seu cliente. Explicou que a afirmação na época do ex-governador foi a de que "nunca confiei no Ministério Público, particularmente em dois jovens garotos que cumprem com o papel lá em Dourados". Amarilla disse que não tinha sido informado oficialmente sobre a convocação feita pela Justiça Federal. Caso a Justiça aceite a denúncia de injúria e difamação, o ex-governador pode ser condenado a até três anos e três meses de prisão além de multa. A audiência está marcada para o próximo dia 21. Pensão vitalícia Zeca do PT trava disputa no Supremo Tribunal Federal (STF) por causa de uma pensão vitalícia de R$ 23 mil por mês a que teria direito após deixar o governo do Estado. O benefício valia para todos os ex-governadores, mas foi cancelado por decisão da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ellen Gracie 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.