Ministério localiza 230 trabalhadores em regime de escravidão no Pará

O Ministério do Trabalho localizou 230 pessoas que trabalhavam em regime de escravidão nas fazendas Santa Rosa, Guará-Pará e Táxi Aéreo em Rendenção, no Sul do Pará. Em nota divulgada à imprensa, os ministérios do Trabalho e do Meio Ambiente informam que os ?trabalhadores não recebiam seus salários desde o início de suas atividades, em novembro de 2002?.Essas pessoas tinham dívidas nos armazéns das fazendas, onde eram obrigadas a comprar desde comida a ferramentas e equipamentos de proteção individual para usar no trabalho. Os trabalhadores stavam abrindo pastos para o gado. Os proprietários não tinham autorização do Instituto Brasileiro do MeioAmbiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para desmatar a área e nem documentos das 26 moto-serras que foram apreendidas pela Polícia Federal. O Grupo Especial de Fiscalização Móvel do Ministério do Trabalho e Emprego já havia, no ano passado, localizado outros trabalhadores em situação similar a dos anunciados nesta sexta-feira. A equipe estimou em R$ 200 mil o gasto que os proprietários terão para regularizar os salários vencidos e ainda pagar aviso prévio, décimo-terceiro, férias e FGTS proporcionais ao período de trabalho. Os fiscais também já emitiram carteiras de trabalho para todos os trabalhaddores, que poderão ainda requerer o seguro-desemprego.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.