Ministério investe na indústria bélica

O ministro da Defesa, Geraldo Quintão, anunciou, nesta quarta-feira, a criação da Comissão Militar da Indústria de Defesa. "A comissão vai fortalecer um segmento da economia, que é muito próspero", disse o ministro, depois de defender a integração das indústrias de material de defesa com as Forças Armadas.Segundo Quintão, no passado houve um erro estratégico do governo e de empresários que levou várias empresas à falência. Para corrigi-lo, o ministério está promovendo uma mudança na política para o setor, que passará a contar com o apoio das diferentes áreas governamentais.O secretário de Logística e Mobilização da Defesa, general Joélcio Silveira, vai presidir a comissão. Ele anunciou, nesta quarta, a nova estratégia do governo para fortalecer a indústria nacional."Temos obrigação de apoiar esta área, fiscalizando e ajudando na produção e exportação de material de defesa", disse o general, reconhecendo que esta é uma "mudança da posição política do governo".Ele salientou ainda que já visitou mais de 30 indústrias de material de defesa para verificar o que elas estão produzindo. A relação das empresas e dos produtos que elas fabricam serão apresentados no Fórum Nacional das Indústrias de Defesa, que será realizado em março.Também como parte da proposta de incentivo à indústria bélica, o general reafirmou que os adidos militares brasileiros, antes de serem destacados para seus postos, receberão treinamento na Secretaria de Logística e Mobilização do Ministério da Defesa, para conhecer e divulgar o que o Brasil produz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.