Ministério apura suposto desvio de cestas básicas pelo MST

A Polícia Federal (PF) de Presidente Prudente, interior de São Paulo, abriu inquérito para apurar a denúncia de que membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) e do Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra) desviaram e venderam cestas básicas que eram destinadas a acampamentos de sem-terra no Pontal do Paranapanema.A denúncia foi feita em março pelo prefeito de Sandovalina, Edivaldo Oliveira (PMDB). Na última terça-feira, 10, representantes do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, do Incra e Ouvidoria Nacional Agrária estiveram em Sandovalina para ouvir o prefeito. Em nota à imprensa, os três órgãos disseram que vão acompanhar o andamento do caso, mas que até agora "não há indícios que comprovem a irregularidade". No entanto, eles não explicaram como o prefeito conseguiu três cestas com alimentos do programa Fome Zero.O prefeito disse que já fez sua parte e que não vai revelar a identidade ou punir os funcionários da prefeitura que lhe entregaram as cestas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.