Ministério analisa importação de gado

Técnicos do Ministério da Agricultura estão analisando os arquivos de importação de animais e de ração para saber se o Brasil importou ou não um lote de bovinos reprodutores da Grã-Bretanha. O "Wall Street Journal" informou que entre 1988 e 1996, a Grã-Betanha exportou 3,2 milhões de cabeças de gado para 36 países, entre eles o Brasil. O jornal também informou que o Brasil importou 146 quilos de farinha de osso e carne em 1997, mas os documentos não indicam se o produto é derivado de aves ou bovinos. Os temores são que os bovinos e a farinha possam ter introduzido a Encefalopia Esponginforme Bovina (BSE, sigla em inglês), doença da vaca louca, no rebanho brasileiro. Fonte do ministério afirmou que, em relação à ração animal, que o produto deve ter entrado no País como contrabando, pois nenhuma empresa faria importação de volume tão pequeno (menos de 3 sacos). Em nota técnica divulgada pelo ministério em dezembro de 2000, o governo informou que as importações de bovinos do Rio Unido foram proibidas pelo Brasil em 1990, e que o uso de farinhas de carne e ossos de animais está proibida desde julho de 1996. Na nota, para provar a inexistência de vaca louca no Brasil, o ministério informou que o Brasil importou 179 bovinos do Reino Unido entre 1989 e 1990. Segundo o governo, técnicos do ministério estiveram na Inglaterra e constataram que em nenhum dos rebanhos dos quais foram exportados animais para o Brasil havia casos de vaca louca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.