Ueslei Marcelino/Reuters
Ueslei Marcelino/Reuters

Minha meta é conseguir passar o projeto da desoneração, afirma Levy

Para o ministro da Fazenda, é preciso discutir como se reduz gastos do governo neste ano para poder financiar a Previdência Social

Célia Froufe, Anne Warth e Rachel Gamarski, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2015 | 12h06

BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, voltou a se esquivar nesta quinta-feira, 18, de responder diretamente sobre a possibilidade de revisão da meta fiscal. “Por enquanto, minha meta é conseguir passar o PL (projeto de lei) da desoneração”, afirmou durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto sobre a medida provisória que trata do fator previdenciário. Segundo ele, é preciso, neste momento, discutir como se reduz gastos do governo neste ano para poder financiar a Previdência Social.

Levy também enfatizou que as mudanças promovidas atualmente pelo governo são, como dizem os especialistas, microeconômicas, pois afetam o jeito de as coisas funcionarem na economia. “Certamente, faremos outras (mudanças) na concorrência, no comércio exterior. Nós temos (mudanças) na área tributária”, disse. Ele mencionou ainda a “melhora” da qualidade de PIS e Cofins. “Essa agenda microeconômica estrutural é exatamente a agenda que queremos fazer. A agenda estrutural, às vezes, vai de mão dada com ajuste, visa a fazer o País se tornar mais eficiente”, afirmou.

Dentro desse contexto, o ministro da Fazenda fez um afago ao colega do Planejamento, dizendo que Barbosa é o “maquinista” da parte de logística. Ele acrescentou que há “inúmeras” ações dentro dessa agenda de fazer a economia crescer mais. “É como se estivéssemos colocando óleo numa máquina para ela andar melhor, e o motor girar mais rápido” afirmou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.