'Minha Casa' é centro da política social, diz Dilma

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira que o programa Minha Casa, Minha Vida é "como se fosse o centro da política social do governo", em torno do qual estão, por exemplo, o Bolsa Família e a política de creches. Ela participou há pouco de cerimônia de entrega de 1.640 moradias do Programa Minha Casa Minha Vida, em Ribeirão das Neves, a cerca de 30km de Belo Horizonte, e também de entrega de ônibus escolares e de máquinas retroescavadeiras e motoniveladoras a prefeitos do Estado.

BEATRIZ BULLA E CARLA ARAÚJO, Agência Estado

16 Abril 2013 | 14h46

"Para nós o programa Minha Casa, Minha Vida faz parte de um grande esforço que o nosso País tem obrigação de fazer. Nós temos de dar conta do atraso, da ausência de benefícios que nós, enquanto País, tínhamos de ter assegurado ao povo brasileiro", disse Dilma, que reforçou o atraso a que se referia: "No passado, o País crescia, mas o povo não crescia junto, a renda do trabalho não crescia junto".

Dilma reforçou que esse "é um governo que foca nas pessoas". "O Minha Casa, Minha Vida não é importante por causa das paredes", disse, reiterando que a relevância do programa é pela melhora na qualidade de vida, bem estar e satisfação dos moradores. "Tenho convicção de que as políticas sociais de governo vão ajudar cada vez mais nosso País a crescer, a gerar oportunidades de emprego, a dar um salário mais digno", afirmou Dilma, no seu segundo pronunciamento do dia, relacionando sua política social a questões econômicas.

Na entrega das moradias Minha Casa, Minha Vida, a presidente afirmou que garantir a casa própria é um "direito de cada um". "Isso não é um favor do governo federal, não é um favor da Caixa Econômica Federal. Porque um País que se preza distribui a sua riqueza para aqueles que mais precisam. Um País que quer ser uma grande nação tem que fazer com que, junto com ele, as pessoas cresçam também", disse Dilma, que emendou: "Isso significa que garantir a casa própria é um direito de cidadania de cada um de vocês".

Trilho certo

A presidente destacou também que o País precisa da parceria com os prefeitos das pequenas cidades para continuar a melhorar a situação de extrema pobreza. "Sabemos que algumas pessoas não estão cadastradas no programa Bolsa Família por desconhecimento. Precisamos da ajuda de prefeitos e prefeitas para fazer essa busca ativa. Só assim garantiremos o sucesso dessa operação", disse a presidente, ao lembrar que o País já conseguiu retirar, nos últimos dois anos, 22 milhões de brasileiros da extrema pobreza.

Dilma afirmou ainda que ficou feliz com a assinatura de um acordo para desenvolver o metrô em Belo Horizonte (MG). "O governo federal vem investindo de forma muito forte em mobilidade urbana", disse durante a cerimônia de entrega de 1.640 moradias do Programa Minha Casa Minha Vida, em Ribeirão das Neves, a cerca de 30km de Belo Horizonte.

Segundo a presidente, o Brasil está no caminho certo e a população, "da presidente ao trabalhador", precisa zelar para que ele continue no trilho certo para ampliar as conquistas. "Nós só temos um jeito de continuar construindo: com a força de todos nós", afirmou Dilma, destacando que tem a certeza de que "o dia de amanhã, será melhor do que o de hoje". Dilma ressaltou ter um compromisso natural com Minas Gerais, por ter nascido lá, mas finalizou dizendo que tem a obrigação de "adotar todos os Estados do País".

Mais conteúdo sobre:
DILMAMINAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.