Mineiro virá a São Paulo discutir regras

Ele quer conversa com governador paulista após o carnaval para definir como evitar desgaste

Julia Duailibi, O Estadao de S.Paulo

19 de fevereiro de 2009 | 00h00

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, pretende se encontrar com o colega paulista, José Serra, a fim de expor sua estratégia para a realização de prévias no PSDB. Ele quer sugerir regras que minimizem eventuais desgastes e divisões na legenda em razão da disputa interna para definir o candidato à Presidência da República em 2010. A ideia era agendar o encontro para depois do Carnaval, mas como Aécio tem agenda em São Paulo hoje é possível que o encontro seja antecipado. Na segunda-feira, em jantar com o presidente do PSDB, o senador Sérgio Guerra (PE), e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, Serra afirmou não ser contra a realização da consulta partidária. Aécio vinha insistindo nas prévias como única forma de escolha legítima do candidato que disputará o Palácio do Planalto. A ideia do governador mineiro, conforme a relatou ao Estado, é encontrar Serra no Palácio dos Bandeirantes. Ele levanta dois motivos para defender que as prévias ocorram, nos finais de semana, entre setembro e outubro deste ano. Primeiro porque a pré-candidata do governo, Dilma Rousseff (PT), já está com a campanha na rua. Depois porque, em caso de haver quaisquer rusgas entre os dois pré-candidatos tucanos - o que diz achar pouco provável -, haverá mais tempo para uma cicatrização até a campanha eleitoral, que começa oficialmente no segundo semestre de 2010.Aliados de Serra, no entanto, são contrários à precipitação da disputa. O próprio governador já afirmou que pretende focar na administração do Estado de São Paulo, principalmente no momento em que o País começa a sentir efeitos da crise financeira global. De qualquer maneira, o modelo de prévias a ser seguido depende da resposta de uma consulta feita pelo PSDB ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).Apesar da movimentação de Aécio em favor das prévias, caciques tucanos avaliam que a aceitação da disputa partidária por parte de Serra pavimentou o caminho para que o governador mineiro desista do processo lá na frente. Caso fique claro que o partido escolherá mesmo o governador paulista, Aécio poderia abrir seu projeto político em nome de Serra. Seria uma saída mais honrosa do que ser atropelado por uma decisão da cúpula partidária tucana de simplesmente indicar o paulista. Há ainda a desconfiança no partido sobre se a disputa interna é a melhor saída. "Vamos usar muita energia para chegarmos ao que já está na opinião pública. O partido não afronta o que está na opinião pública, ele apenas reflete", declarou o senador Álvaro Dias (PR). "Prévias não serão um problema no PSDB. Chegaremos unidos a 2010", afirmou Sérgio Guerra. Na conversa que pretende ter com Serra, Aécio vai propor que a disputa só ocorra nos finais de semana. Assim evitaria acusações, diz ele, de que ambos os governadores estariam cuidando de questões partidárias enquanto deveriam estar tocando a gestão estadual.A proposta é que sejam agendados encontros pelo País durante os finais de semana, bancados pelo PSDB. Algo como cinco encontros. Cada dia seria destinado a uma cidade, onde os dois tucanos colocariam suas visões de mundo a respeito de quatro temas acordados previamente. Poderiam ser assuntos como enfrentamento da crise, desenvolvimento regional, gestão pública e política social. Apesar da proposta de Aécio, o modelo de prévias a ser seguido ficará para março, quando o partido terá em mãos as respostas do TSE. Os tucanos contam com uma experiência de prévias: a que foi realizada no Acre, em 2006, na escolha do candidato a governador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.