Minc suspeita de projeto de R$ 520 mil em Campinas

A Ministério da Cultura investiga se existe alguma irregularidade na aprovação de um projeto para captação de R$ 520 mil, por meio da Lei Rouanet, para um show da cantora Ivete Sangalo, em Campinas (interior paulista). O show não aconteceu nem os R$ 520 mil autorizados foram captados no período estipulado: entre 22 de junho e 31 de julho desde ano.O alvo central das investigações, que estão sendo feitas pela Secretaria de Incentivo e Fomento à Cultura, é a Acontece Administração e Organização de Festas.Com CNPJ e situação cadastral regulares na Receita, a empresa tem sede em Santo André. A reportagem procurou ontem seus representantes e referências, mas não os localizou.Um telefone fornecido ao Ministério da Cultura que seria da Acontece é de uma farmácia em Santo André. Segundo a pasta, os dados de cadastro precisariam estar atualizados. Diligências do órgão serão feitas para localização dos proprietários.PROJETONo projeto entregue em 2006 ao ministério, a Acontece pediu direito à captação de R$ 1,4 milhão para um show com a cantora Ivete Sangalo que aconteceria, inicialmente, no dia 21 de janeiro deste ano, no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas. A data depois foi alterada para junho.O projeto, chamado de ''''Ivete Sangalo Repica Brasil'''', ficou sob suspeita após reportagem do site Folha Online descobrir que o empresário da artista não teria sido consultado sobre a apresentação.A Secretaria de Incentivo e Fomento à Cultura, que é responsável pela análise dos projetos de captação de recursos por meio da Lei Rouanet, informou que solicitou uma carta de compromisso da artista à Acontece e que o documento não foi apresentado. Mesmo assim, a Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (Cnic) orientou a aprovação do projeto, segundo o ministério.A assessoria da Secretaria de Incentivo e Fomento informou ainda que o fato de a carta não ter sido entregue, a falta de captação do recurso autorizado ou mesmo a realização do show não configuram nenhum tipo de irregularidade.É comum em alguns pedidos de projeto a captação ser autorizada sem que os recursos sejam levantados e, conseqüentemente, o evento não ser realizado.De acordo com a secretaria, que há duas semanas iniciou as investigações, é preciso saber se a Acontece planejava captar os recursos sem a realização do evento. Nesse caso seria impossível a prestação de contas do projeto, o que é obrigatório.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.