Minas Gerais interdita lote de bombons Garoto

A Superintendência de Vigilância Sanitária da Secretaria (Visa) de Saúde de Minas Gerais interditou um lote de bombons da marca Garoto que apresentava a presença de "insetos vivos" e não atendia à legislação vigente. Segundo informações da Visa-MG, a amostra analisada do lote L 32422, cuja data de validade se encerrou nesta quinta-feira, continha "traça, larvas vivas e excrementos de insetos". Segundo a diretora de Vigilância Sanitária de Alimentos, Lígia Lindner Schreiner, fiscais da Prefeitura de Belo Horizonte iniciaram a retirada dos produtos do lote que ainda estavam disponíveis nos postos de comercialização da cidade. Ela sugeriu que a fabricante Chocolates Garoto S.A., sediada em Vitória, no Espírito Santo, investigue a origem da contaminação pelos insetos. "É obrigação da empresa descobrir a origem do problema", disse Lígia. Segundo a diretora, nesses casos, é comum que a contaminação tenha como base a matéria-prima utilizada na fabricação do produto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.