Militares podem ficar sem salários

Os salários de novembro dos militares não serão depositados no dia 5, como costumaocorrer. De acordo com o Ministério da Defesa, o governo não fez um repasse previstode R$ 2,7 bilhões ? parte de um crédito suplementar de R$ 6 bilhões solicitado peloExecutivo e há vários dias à espera de aprovação no Congresso. Além dos militares,funcionários civis correm o risco de não receber o pagamento de dezembro, cuja folha érodada no dia 20 de cada mês.O pedido de recursos suplementares estava pronto para ir à votação na semanapassada, mas a urgência exigida pelo governo na avaliação da proposta de mudança daConsolidação das Leis do Trabalho (CLT) trancou a pauta da Câmara e foi realizada asessão do Congresso dedicada a analisar créditos adicionais.?O governo estava tão preocupado em votar a CLT que esqueceu de convocar asessão do Congresso?, acusa o líder do PT na Câmara, Walter Pinheiro (BA). ?Vaiatrasar o pagamento do funcionalismo de seis ministérios, até mesmo da área militar edo Senado?, previu o vice-líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros(PPB-PR), ainda no início da semana passada.Um acordo de líderes poderia contornar o problema, mas o PT não quis facilitar a vidado governo na semana passada. Walter Pinheiro disse que o Executivo havia sidoirresponsável ao deixar para a última hora o envio do projeto ao plenário. ?A minhaproposta é a de que o Congresso vote os créditos suplementares nesta terça-feira paraque nenhum funcionário fique sem salário, e na quarta vote, de novo, a CLT?, sugeriuhoje o líder do PT.O Executivo pediu recursos extras porque as despesas de pessoal da União, nesteano, ficarão superiores às previstas na lei orçamentária de 2001. São dez os pedidos deliberação de verbas complementares para pagamento de salários do funcionalismo, queestão na pauta do Congresso, fazem parte de um pacote de R$ 41 bilhões. Deste total,R$ 32 bilhões são gastos.Nota oficialNa última sexta-feira, apesar de ter sido feriadoem Brasília, os comandantes militares redigiram notas oficiais para explicar ao seu pessoal os motivos pelos quais seus salários não seriam depositados no dia 5, conforme o calendário pré-estabelecido. O Informativo do Exército (Informex), distribuído hoje esclarecia que em virtude da demora na votação no Congresso, haverá atraso no pagamento do salário de novembro dos militares da ativa, da reserva e dos pensionistas militares e do 13º. Apenas terão seus vencimentos depositados amanhã, dia cinco de dezembro, os recrutas, os servidores civis ativos e inativos e pensionistas das Forças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.