Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Militar que atua na segurança de Bolsonaro está internado com coronavírus

Policial foi levado na noite desta quarta-feira para um hospital em Brasília após apresentar piora, segundo contou sua mãe

Jussara Soares e Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

26 de março de 2020 | 13h32
Atualizado 26 de março de 2020 | 18h56

BRASÍLIA – Um funcionário do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) que atua na segurança do presidente Jair Bolsonaro está internado após contrair o novo coronavírus. A informação foi confirmada ao Estado pela mãe de Ari Celso Rocha Lima de Barros, de 39 anos, e pelo GSI.

Ari é capitão da Polícia Militar do Distrito Federal e, segundo portaria do GSI de fevereiro deste ano, atua no governo como assistente técnico militar.  Ari acompanha Bolsonaro em eventos e em viagens, mas não estava na comitiva que foi para a Flórida, nos Estados Unidos, no início do mês. Vinte e três pessoas que estiveram com o presidente nesta viagem testaram positivo para novo coronavírus.

LEIA TAMBÉM >Estudo prevê propagação do coronavírus maior do que projeções iniciais

De acordo com GSI, o militar foi infectado após contato com o secretário de Comunicação, Fabio Wajngarten, o primeiro do governo a testar positivo para a covid-19. Quando chegou dos Estados Unidos, no dia 11, Wajngarten pegou uma carona com um avião da FAB que foi para Registro (SP), levando a equipe de segurança, incluindo Ari, que preparava uma visita do presidente Bolsonaro. Esta viagem não foi realizada.  

Ainda segundo o GSI, após o chefe da Secom testar positivo, no dia 12, todos os integrantes do voo foram colocados em quarentena. Foi neste período que Ari apresentou sintomas e foi confirmado com a covid-19 no último domingo, 22.  O militar não teve contato com o presidente, informou a pasta.

Por telefone, a advogada Julmar Rocha Lima de Barros contou que o filho Ari está no Hospital de Base, em Brasília, desde a noite de quarta-feira, dia 25. Ele havia sido diagnosticado com a covid-19 e estava em isolamento em casa. Entretanto, teve febre, uma piora no quadro clínico e foi hospitalizado.

Segundo Julmar, apenas integrantes da PM têm visitado Ari. “Nós da família, eles não deixam ter acesso por precaução. Mas ele me mandou recado que está bem e dormiu a noite toda. Para nós isso é vitória”, disse a advogada de 74 anos.  Ari é casado e pai de dois filhos.

O militar, segundo o relato da mãe, está consciente e não está usando respiradores.  Julmar conta que o filho pratica esporte e tem boa saúde. “Ele é novo, muito estudioso. É atleta também, pratica muito esporte, cuida da saúde direitinho. Com fé em Deus, ele vai sair dessa”, contou.

A mãe do capitão da PM relatou ainda que foi informada que um funcionário da Presidência esteve no hospital para saber as condições de saúde do filho.

“Ele é muito realizado no trabalho. Ele diz que gosta muito do presidente, que é muito atencioso, cumprimenta a todos e não faz distinção de ninguém. Inclusive, já foi alguém da Presidência visitar.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.