Militar morre em tiroteio com guardas da Granja do Torto

Nota do Gabinete de Segurança Institucional informa apenas que houve 'disparos de armas de fogo' nesta manhã

Vannildo Mendes, de O Estado de S. Paulo,

10 de junho de 2009 | 12h16

O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República informou nesta quarta-feira, 10, que um militar morreu, no início da manhã, numa ocorrência em que houve "disparos de armas de fogo envolvendo pessoal da guarda" presidencial na Granja do Torto, uma das residências oficiais da Presidência.

 

Segundo a nota, o militar ferido chegou a ser atendido no Hospital das Forças Armadas, em Brasília. O texto oficial divulgado antes não esclarecia se era grave ou não o estado de saúde do militar, mas o GSI acaba de confirmar que ele morreu.

 

A nota informa que foram abertos duas investigações - inquérito policial e um inquérito policial militar (IPM) - para apurar o que aconteceu. O IPM será comandado pelo Exército.

 

Leia, a seguir, a integra da nota oficial divulgada pelo GSI antes de confirmada a morte do militar ferido:

 

1.O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República informa que, no início da manhã de hoje - 10 de junho -, ocorreram disparos de armas de fogo envolvendo pessoal da guarda na Granja do Torto.

 

2.O incidente resultou em ferimentos em um militar de serviço, que, logo após, foi conduzido ao Hospital das Forças Armadas (HFA).

 

3.A fim de apurar as causas do acontecido, serão instaurados um inquérito policial militar e um inquérito policial, a cargo, respectivamente, do Exército Brasileiro e da autoridade policial competente."

A nota é assinada pela Assessoria de Comunicação do GSI.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.