Militar ferido em combate na fronteira com a Colômbia

O cabo Gilberto de Souza Santos está internado no Hospital Militar, em Manaus, em conseqüência de um ferimento a bala ocorrido durante a atividade do exército na cidade de Tabatinga, a 1.100 quilômetros de Manaus, denominada ?Operação Tapuru? e voltada para combate ao tráfico de drogas e atuação de guerrilheiros na fronteira do Brasil com a Colômbia.Segundo informações ainda não confirmadas, outro militar estaria desaparecido desde esta quinta-feira, após confronto com guerrilheiros colombianos.O Ministro da Defesa, Geraldo Quintão, anunciou os incidentes envolvendo militares brasileiros. Baseado no Comando Militar da Amazônia, em Manaus, o ministro confirmou o confronto com grupos armados provenientes da Colômbia. ?Somente ainda não sabemos se esses grupos são formados por guerrilheiros ou traficantes?, disse o Ministro.Informações vindas de Tabatinga, onde houve o confronto, dizem que o primeiro caso de combate com forças inimigas aconteceu na noite da última terça-feira, na comunidade de Belém do Solimões, pertencente aquele município. Neste confronto, o cabo foi ferido mas, segundo o general Guilherme de Figueiredo, comandante militar da Amazônia, passa bem e está pronto para voltar a ativa.?Do nosso lado, houve apenas uma baixa temporária. Não posso afirmar o que aconteceu com os soldados do lado de lá?, disse ele, referindo-se a possíveis baixas nas fileiras colombianas.Ainda segundo o comandante Guilherme de Figueiredo, o que houve na fronteira deve ser encarado apenas como uma conseqüência natural de um confronto militar. Ele afirmou que, embora o caso pareça apenas uma operação de treinamento, o que está acontecendo em Tabatinga é um trabalho ostensivo de combate a narcotraficantes e guerrilheiros. ?Não estamos fazendo exercícios. Estamos combatendo?, garantiu.O cabo ferido tem 26 anos e pertence ao navio patrulha fluvial Raposo Tavares. Tudo indica que em pouco tempo o militar estará pronto para voltar às atividades. Quanto ao desaparecimento do sargento de infantaria Manoel de Alencar, ocorrido no município de São Gabriel da Cachoeira, a 850 quilômetros de Manaus, não há qualquer informação oficial. Sabe-se apenas que o militar sumiu durante uma patrulha, mas as causas do desaparecimento ainda não foram esclarecidas.A Operação Tapuru prossegue até este sábado. Ela está envolvendo cerca de 4 mil homens do exército, aeronáutica e marinha. Dezenas de navios e aviões estão à disposição dos militares, que estimam em torno de R$ 5 milhões o custo total da operação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.