ALESC
ALESC

Militar do DOI diz que Paulo Stuart Wright esteve preso em SP

Deputado estadual de Santa Catarina cassado em 1964, dirigente da Ação Popular desapareceu em 1973, durante a ditadura militar; sargento Massayuki Gushiken contou ao Ministério Público Federal que ele estava em lista de detidos

Marcelo Godoy, O Estado de S.Paulo

05 Julho 2018 | 05h00

Pela primeira vez um militar do Exército admitiu que Paulo Stuart Wright, deputado estadual de Santa Catarina cassado em 1964, esteve preso no Destacamento de Operações de Informações (DOI), do 2.º Exército. Dirigente da Ação Popular (AP), grupo que se opunha à ditadura militar, Wright desapareceu em 1973. Foi visto pela última vez ao sair de um trem no ABC.

+++Brasil é condenado por assassinato de Herzog

+++General Villas Bôas preside ato que lembra soldado vítima de atentado

O sargento Massayuki Gushiken trabalhou no DOI de 1971 a 1975. Contou ao Ministério Público Federal que Wright estava na lista de presos do DOI e que ele foi levado a Brasília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.