Militantes vão à PF manifestar apoio a João Paulo Cunha

Um grupo de seis militantes do PT foi até a Superintendência da Polícia Federal, em Brasília, no início da tarde desta terça-feira, 07, para prestar solidariedade ao deputado João Paulo Cunha (PT-SP). O deputado teve sua prisão autorizada ontem após o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, negar seus recursos no processo do mensalão.

RICARDO DELLA COLETTA, Agência Estado

07 Janeiro 2014 | 12h44

Os militantes carregam bandeiras, pedem a anulação da ação penal 470 e afirmam que os ministros do Supremo se pautaram pela mídia durante o julgamento. "Não existe dinheiro público desviado e não há provas que incriminem os companheiros", disse Rafael Reis, um dos manifestantes.

O advogado de João Paulo Cunha, Alberto Toron, afirmou ao Broadcast Político que seu cliente aguarda a expedição do mandado de prisão para se apresentar. A assessoria de imprensa da Polícia Federal informou que ainda não recebeu o mandado.

A decisão sobre os recursos de João Paulo vale para os crimes de corrupção e peculato. A condenação por lavagem de dinheiro ainda não transitou em julgado.

Mais conteúdo sobre:
mensalãoJoão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.