Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Militantes gritam palavras de ordem contra Michel Temer no Palácio do Planalto

Além do vice-presidente, ex-petistas como os senadores Marta Suplicy e Cristovam Buarque também são alvo das manifestações

Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo

12 de maio de 2016 | 10h54

BRASÍLIA - Além do vice-presidente Michel Temer, ex-petistas como os senadores Marta Suplicy (PMDB-SP) e Cristovam Buarque (PPS-DF) também são alvos das palavras de ordem do militantes pró-Dilma que começam a se aglomerar ao pé da rampa do Palácio do Planalto. Está previsto um encontro da presidente com o antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, e um pronunciamento da petista.

"Michel Temer, seu infeliz, você não sabe o que te espera no País", gritam os manifestantes. "Marta traidora, Cristovam traidor, nós não vamos esquecer", avisam os manifestantes. "Filhos da p.", xingaram alguns. "Respeitem as p.", repreendeu um grupo de mulheres. 

Militante de movimentos de moradia e direitos humanos em São Paulo, Olga Quiroga, chilena de 79 anos que vive há 56 no Brasil, protege a cabeça do sol forte com um lenço vermelho. Grudada à grade de proteção, ela aguarda desde às 7h30 o discurso de Dilma para seus apoiadores. "Sem Dilma, os projetos sociais não vão avançar porque a elite não gosta que as pessoas de baixa renda subam. Hoje nossos filhos estão na universidade, temos carro, andamos de avião e eles não gostam disso", disse Olga, que chegou segunda feira a Brasília para reforçar as manifestações contra o impeachment.

Os manifestantes alternam slogans da campanha de Dilma com ataques ao novo governo. "Quem não tem voto não pode governar" e "Temer, ladrão, o seu lugar é na prisão" são repetidos a todo momento. "No meu país eu boto fé porque ele é governado por mulher", gritam também. "Ela ainda é presidenta", repete um grupo de integrantes do movimento feminino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.