Militantes do PT fazem desagravo a Dirceu

Ex-presidente do PT recebe homenagem durante 6.º Congresso, em Brasília

Vera Rosa, Ricardo Galhardo, enviado especial, e Renan Truffi, O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2017 | 21h47

BRASÍLIA - O PT fez nesta quinta-feira, 2, um desagravo ao ex-ministro da Casa Civil José Dirceu na abertura de seu 6.º Congresso. Com fotos espalhadas no local onde o encontro está sendo realizado, em Brasília, Dirceu foi chamado de "herói" e "guerreiro do povo brasileiro".

Condenado a 32 anos e um mês de prisão, em duas ações penais, o ex-ministro está em liberdade desde o mês passado por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Embora ausente da cerimônia, ele foi muito lembrado pelos militantes do partido.

O presidente do PT, Rui Falcão, puxou um coro em defesa de Dirceu e do ex-tesoureiro do PT João Vaccari, que também é réu da Lava Jato e ainda está preso. "Nossa solidariedade aos companheiros perseguidos e condenados injustamente. Vaccari e Zé Dirceu, heróis do povo brasileiro!", disse Falcão. Dirceu presidiu o PT de 1995 a 2002. Deixou o governo Lula em 2005, abatido pelo escândalo do mensalão. O ex-ministro Antonio Palocci, outro alvo da Lava Jato, não foi citado.

A líder do PT no Senado, Gleisi Hoffmann (PR), também elogiou o ex-ministro e citou trechos de artigo escrito por ele para dizer que a única solução possível para o País é uma "revolução política, econômica e social". "Dirceu, guerreiro, do povo brasileiro", gritavam os militantes.

O 6.º Congresso do PT, que vai até sábado, 3, foi batizado de Marisa Letícia Lula da Silva, em homenagem à mulher do ex-presidente, morta em fevereiro, vítima de um AVC. O encontro ocorre em meio à maior crise dos 37 anos do PT e vai eleger uma nova direção. Gleisi disputará o comando do PT com o senador Lindbergh Farias (RJ) e é a favorita para substituir Rui Falcão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.