Militantes do MST resgatados de delegacia na BA estão foragidos

Os dois militantes do Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) resgatados ontem da Delegaciade Polícia de Aurelino Leal, no sul da Bahia foram indiciados no crime de resistência à prisão e podem ser condenados a umapena de três anos. O delegado Paulo de Tarso da vizinha cidade de Ubaitaba, que está respondendo temporariamente porAurelino Leal, enviou à Justiça o pedido de prisão preventiva para os dois e fez duras acusações aos militantes do MST daregião. "São bandoleiros, que não respeitam as leis, invadem as fazendas para roubar gado, produtos agrícolas eeletrodomésticos, além de ameaçar os proprietários", disse, informando que a população esta "em polvorosa" devido aos atos de"vandalismo" dos sem-terra.Tarso ficou particularmente irritado com o resgate dos dois militantes (identificados como Irênio Santos e Luiz Souza, o Gordo)em Aurelino Leal pois foi pego de surpresa. "No momento estava dando entrevista a uma emissora de televisão, aí ocorreuaquele alvoroço com as pessoas armadas com facões e foices entrando na delegacia e levando os dois que inclusive estavamalgemados", contou. Segundo o delegado, os dois sem-terra iriam ser liberados logo após deporem. Eles foram preso por desacato àautoridade durante a desocupação da Fazenda São José, situada entre os municípios de Aurelino Leal, Marau e Ubaitaba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.