Militância tucana em SP demonstra abatimento

Abatida pelo resultado das eleições presidenciais, a militância tucana reunida no diretório estadual de São Paulo tentava manter o ânimo. Os anúncios de resultados em Estados em que Aécio Neves (PSDB) venceu Dilma Rousseff (PT) eram recebidos com uma rodada de aplausos. A plateia reunida no diretório aplaudiu especialmente os resultados de São Paulo, com gritos de "São Paulo" e "Geraldo", em referência ao governador reeleito Geraldo Alckmin (PSDB).

ANA FERNANDES E RICARDO CHAPOLA, Estadão Conteúdo

26 de outubro de 2014 | 20h38

A cada fala e aparição no telão do candidato do PT ao governo estadual, Alexandre Padilha, que dá entrevista à TV Bandeirantes, o público gritou hostilidades e vaiou.

Mas a tristeza no diretório é visível. "Eu não me preocupo só com São Paulo, me preocupo com o País inteiro", disse uma militante aos prantos. Na sequência ela emendou o grito: "Nossa bandeira jamais será vermelha."

"Bateram tanto em Marina que ela caiu, a mesma coisa fizeram com Aécio. São Paulo fez a sua parte, infelizmente o mesmo não aconteceu em outros Estados. O Brasil saiu perdendo", lamentou o militante Erik Sanches, empresário e filiado ao PSDB.

Foi montada uma estrutura de coletiva de imprensa para uma possível entrevista de Alckmin, mas não há confirmação de que ela ocorrerá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.