Joka Madruga/Futura Press
Joka Madruga/Futura Press

Milhares protestam no Paraná contra ajustes do governo estadual

Movimento liderado por professores da rede estadual tem apoio de vários setores da administração pública, insatisfeitos com cortes de gastos e aumento de impostos proposto por Beto Richa

Ricardo Galhardo, enviado especial, O Estado de S. Paulo

25 Fevereiro 2015 | 15h02

Curitiba - Milhares de pessoas participaram nesta quarta-feira, 25, de uma marcha que tomou o centro de Curitiba (PR) e foi até o Palácio das Araucárias, sede do governo estadual, em protesto contra as medidas de ajuste fiscal anunciadas pelo governador reeleito Beto Richa (PSDB). Segundo os organizadores, a marcha reuniu 40 mil pessoas, já a Polícia Militar estima o número de manifestantes em pouco mais de 10 mil pessoas.

A manifestação, convocada por professores da rede estadual que estão em greve há 18 dias por conta de atrasos no pagamento de férias e outros benefícios, foi engrossada por outros setores do funcionalismo estadual, como trabalhadores das áreas de saúde, segurança pública, além de estudantes e a população em geral insatisfeita com as medidas de ajuste fiscal do governo estadual. As medidas que preveem cortes de gastos em diversos setores da administração estadual e aumentos de impostos.

Representantes dos professores e do governo do Estado estão reunidos neste momento na sede do governo para tentar um acordo. É a terceira rodada de negociações. Em entrevista à afiliada local da TV Globo, o governador Beto Richa (PSDB) se mostrou otimista quanto a um acordo ainda nesta quarta, mas segundo os professores mesmo que todas as exigências sejam cumpridas, a greve que atinge aproximadamente 1 milhão de alunos da rede estadual, deve durar pelo menos até o final dessa semana.

 Isso porque o fim do movimento só pode ser definido em assembleia, que precisa ser convocada com pelo menos 48h de antecedência pelo comando da greve, que vai se reunir nesta quinta-feira.

Veja o vídeo da manifestação que tomou as ruas de Curitiba:


 

Mais conteúdo sobre:
protestos ParanáBeto RichaPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.