Mídia europeia dá menos destaque à eleição no Brasil

As publicações que tratam do assunto mostram a vantagem da candidata petista nas pesquisas

Daniela Milanese, correspondente da Agência Estado,

31 de outubro de 2010 | 11h17

LONDRES - A mídia da Europa reduziu o espaço dado à cobertura da eleição presidencial no Brasil na reta final. Neste domingo, quando os brasileiros vão às urnas para escolher o próximo presidente, os jornais europeus não dão o mesmo destaque ao tema, como aconteceu na votação do primeiro turno. As publicações que tratam do assunto mostram a vantagem da candidata à Presidência Dilma Rousseff (PT) nas pesquisas.

 

No site do Financial Times, o blog do correspondente Jonathan Wheatley diz que os levantamentos do Ibope e do Datafolha mostram a petista rumo à sucessão de seu "mentor", o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com vantagem de 10 pontos sobre o adversário José Serra (PSDB). Durante a semana, o jornal britânico indicou em editorial seu apoio ao candidato do PSDB, considerado a "melhor opção para o Brasil", assim como fez a revista The Economist.

 

Hoje, é o espanhol El País que dedica o maior espaço para as eleições. O jornal diz que a política brasileira inicia um novo ciclo sem Lula. Apesar da vantagem de Dilma nas pesquisas, a publicação afirma que os brasileiros "se despedem, de alguma forma, de Luiz Inácio Lula da Silva, o político mais querido e admirado de sua história".

 

Para o El País, o fim do mandato do atual presidente trará ao menos uma consequência positiva. "A oposição voltará a atuar, compacta e forte, livre de complexos, disposta a lutar para conseguir dentro de quatro anos uma alternância de poder", diz o jornal, argumentando que a oposição poderá impedir que a hegemonia do PT acabe criando um equivalente ao PRI mexicano.

 

Outros jornais que deram destaque para a corrida presidencial brasileira no dia da votação do primeiro turno hoje já não tratam do assunto. No dia 3 de outubro, o tema era manchete do site do francês Le Monde, enquanto o The Observer trazia artigo assinado por correspondente no Rio de Janeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.