Mickey manda na ''Sarneylândia''

Seu ?castelo? tem Pluto, Pinóquio e João Bafo de Onça

, O Estadao de S.Paulo

04 de julho de 2009 | 00h00

Liderados pelo deputado Chico Alencar (PSOL-RJ), militantes do partido realizaram ontem uma manifestação no centro do Rio pelo afastamento do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Na Praça Mário Lago, tradicional reduto de petistas e dissidentes que fundaram o PSOL, eles recolheram assinaturas e exibiram uma maquete com o Congresso estilizado como um castelo de contos de fadas. Sob a placa "Bem-vindo à Sarneylândia", os protagonistas da sucessão de escândalos do Senado aparecem como personagens de Walt Disney. O PSOL é autor da representação por quebra de decoro contra Sarney no Conselho de Ética do Senado, que não teve todos os integrantes indicados desde a posse da nova Mesa Diretora. "É um escárnio. Se até agosto o conselho não estiver constituído, teremos que recorrer à Justiça para fazer valor o regimento", disse Alencar. Ele também informou que o partido pretende acrescentar à representação um novo elemento: o fato de Sarney ter ocultado da Justiça Eleitoral sua mansão de R$ 4 milhões em Brasília, como revelou o Estado.A maquete da Sarneylândia apresenta a cidade fictícia como integrante do "Distrito da Renânia". Sarney é retratado como Mickey Mouse ao lado de Renan Calheiros (PMDB-AL), um dos irmãos Metralhas. O primeiro-secretário Heráclito Fortes (DEM-PI) aparece como João Bafo de Onça, e o senador Wellington Salgado (PMDB-MG), da tropa de choque de Sarney, é o cãozinho Pluto. A brincadeira não poupou nem o líder tucano Arthur Virgílio (PSDB-AM), que também pediu a saída de Sarney, mas se viu obrigado a explicar um empréstimo tomado do ex-diretor Agaciel Maia. Ele é o Pinóquio.O PT, enquadrado por Lula para defender Sarney, foi representado pela senadora Ideli Salvati (PT-SC), caracterizada como a bruxa Maga Patológica. Acima dos personagens, Lula pairava como um santo envolto pela inscrição: "São Lula abençoa". Para Alencar, a irreverência dos artistas de rua que ofereceram a maquete mostra que a população não perdoará uma operação para salvar Sarney. Pouco mais de 50 pessoas pararam para ouvir o discurso do deputado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.