Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Temer deixa hospital e faz sinal de positivo: 'Inteiro'

Presidente foi submetido a uma sondagem vesical de alívio por vídeo no Hospital do Exército e deve seguir para o Palácio do Jaburu

Carla Araújo, Leonencio Nossa e Vera Rosa, O Estado de S.Paulo

25 de outubro de 2017 | 14h49

presidente Michel Temer teve alta e deixou o Hospital Militar de Área de Brasília (HMAB). Ao lado da primeira-dama, Marcela, Temer fez sinal de positivo e diz que está 'inteiro'. Segundo informações da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, o presidente irá para a residência oficial, o Palácio do Jaburu, onde ficará de repouso por orientação médica.

“O presidente Michel Temer teve alta após as 20 horas. Ele passa bem e, seguindo orientação médica, irá repousar em casa”, informou em nota a Secom da Presidência assim que o presidente deixou o hospital.

+ AO VIVO: Acompanhe a votação na Câmara da segunda denúncia contra Temer 

Segundo auxiliares, a princípio o presidente não terá agenda na quinta pela manhã, mas o restante do dia ainda será avaliado. Apesar de alguns parlamentares dizerem que querem visitar o presidente, segundo auxiliares, a recomendação é que descanse nesta noite. Os ministros palacianos, segundo fontes, também optaram por deixá-lo descansar.

O presidente, que iria para o Acre na sexta-feira participar de uma reunião de segurança com governadores, já cancelou a sua viagem. Para demonstrar que Temer está recuperado, a assessoria de imprensa do Planalto permitiu que o presidente pudesse ser fotografado e filmado no momento em que se dirigia ao carro.

Desconforto. Após sentir um desconforto por volta de meio-dia, enquanto despachava em seu gabinete, Temer foi avaliado pelo médico de plantão do Planalto, que constatou uma obstrução urológica. O presidente foi levado então ao Hospital do Exército e, depois da realização de exames, passou por uma sondagem vesical de alívio por vídeo. 

+++ Marcela foi informada pela imprensa que Temer passou mal

Mesmo no hospital, Temer foi informado do andamento da votação da segunda denúncia. Mais cedo, ao Estadão/Broadcast Político, o ministro da casa Civil, Eliseu Padilha, disse que conversou com o presidente por telefone e informou que a sessão da Câmara que aprecia a denúncia por obstrução de justiça e formação de quadrilha havia conseguido quórum. "Ele está bem, está tranquilo, se recuperando", disse. "Falei com ele agora há pouco e avisei que o quórum havia sido atingido."

+++ Análise: Um governo entregue ao Congresso

Na terça-feira, 24, o ministro, que também é denunciado, havia afirmado que a expectativa é conseguir derrubar a denúncia por uma margem de "até 10 votos" acima dos 263 da primeira denúncia.

Padilha, que teve problema urológico semelhante ao do presidente no início do ano, disse que a equipe médica que atende o presidente é a mesma que o atendeu e que ele está em boas mãos. Padilha disse ainda que Temer relatou estar se sentindo bem e tem até a intenção de voltar ao Planalto ainda hoje. Apesar disso, o ministro reconheceu que o presidente ainda precisa aguardar as decisões médicas.

+++ Custo de denúncias contra Temer alcança R$ 32,1 bi

Cardiologista. O médico do Hospital Sírio-Libanês em São Paulo e cardiologista do presidente Michel Temer, Roberto Kalil Filho, está em contato com a equipe médica do Hospital do Exército em Brasília. 

De acordo com o Secretário de Comunicação, Marcio de Freitas, o presidente passou mal por volta do meio-dia desta quarta-feira, com dificuldades de urinar e, só depois que foi atendido no Planalto constatou-se que eram necessários exames mais detalhados. Por isso, Temer foi transferido para o hospital, onde deu entrada às 12h50.

Depois de informar que o porta-voz do presidente Michel Temer falaria com a imprensa sobre o estado de saúde do presidente, o Palácio do Planalto anunciou que a fala de Alexandre Parola fora cancelada e divulgou uma nota a respeito do estado de saúde do presidente. “O médico de plantão constatou uma obstrução urológica e recomendou que fosse avaliado no Hospital do Exército, onde se encontra para realização de exame e devido tratamento”, diz o texto. 

A reportagem entrou em contato com o médico do presidente Roberto Kalil Filho, diretor do hospital Sírio-Libânes, em São Paulo, mas ele disse que não poderia falar naquele momento.

Temer, que completou 77 anos em setembro, fez um check-up recentemente em São Paulo. Temer cumpria agenda normalmente nesta quarta-feira, dia que a segunda denúncia contra ele pode ser apreciada pelo plenário da Câmara dos Deputados.  

Leia a nota oficial do Planalto:

O Presidente Michel Temer teve um desconforto no fim da manhã de hoje e foi consultado no próprio departamento médico do Palácio do Planalto. 

O médico de plantão constatou uma obstrução urológica e recomendou que fosse avaliado no Hospital do Exército, onde se encontra para realização de exame e devido tratamento. 

Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.