MG suspende duas lentes usadas em cirurgia de catarata

A Vigilância Sanitária de Minas Gerais (Visa-MG) determinou a interdição e suspensão da venda das lentes Intraocular Lens (Lente Intraocular Mediphacos) e Ioflex (Foldable Hydroacrylic Intraocular Lens), que teve também a fabricação suspensa. Ambos produtos, usados em cirurgias de catarata, são fabricados pela empresa Mediphacos, com sede na capital mineira. No mês passado, outro produto da Mediphacos sofreu interdição da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A empresa vendeu a hospitais do Rio de Janeiro, sem licença para a comercialização, a solução oftálmica Methyl Lens Hypac 2%, que teria provocado a cegueira em mais de 10 pessoas operadas de catarata. A Visa-MG suspendeu a venda do Intraocular Lens sob o argumento de que a "rotulagem/embalagem" está em desacordo ao apresentado no processo de registro concedido pela Anvisa. Já o Ioflex, segundo a Vigilância Sanitária, impõe risco à saúde pública, porque não possui registro junto a Anvisa. As interdições e suspensões foram determinadas ontem e a Mediphacos vai responder a processo administrativo. A empresa tem 90 dias para conseguir uma autorização da Anvisa, ou inutilizar o material interditado.A Mediphacos informa, por meio de sua assessoria de imprensa, "está entrando com os recursos cabíveis visando manter a produção e distribuição regular dos produtos". A assessoria ressaltou que, nos dois casos, não se está questionando a qualidade dos produtos, "que estão no mercado há 25 anos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.