México vai investir na integração indígena

A titular do Escritório do México para Assuntos Indígenas, Xochitl Galvez, disse que o governo mexicano vai investir este ano US$ 80 milhões para pagar salários dos 50 mil professores e 30 mil médicos e custear projetos nas áreas de educação e saúde. O projeto de Xochitl pela integração dos indígenas no país propõe a inclusão das línguas originais nas escolas - são 90, além da espanhola -, programas de bolsas, uso de conhecimentos das culturas indígenas com plantas medicinais e drenagem nos campos. "Agora me é permitido propor ações e, se algum dia não for mais possível, saio do cargo", afirmou Xochitl, em entrevista coletiva neste sábado, durante o Fórum Social Mundial, em Porto Alegre.Xochitl reafirmou o desejo do presidente mexicano, Vicente Fox, de reconhecer os direitos constitucionais dos povos indígenas, por meio de uma lei já enviada ao Congresso, e garantiu que o subcomandante Marcos, líder do Exército Zapatista de Libertação Nacional, manifestou intenção de encontrá-lo na Cidade do México. Com o possível diálogo, ela não crê na possibilidade de o movimento revolucionário do Estado de Chiapas entrar em um processo de guerrilha semelhante ao das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). "Creio que os mexicanos querem a paz", afirmou.Xochitl Galvez, ela mesmo descendente de indígenas, da pequena cidade de Ñhañhu, deixou o trabalho na sua empresa, a High Tech Services, para asumir o escritório. Ela não pertence a nenhum partido político, e acha irônico o fato de que um governo de direita teve a iniciativa de construir um diálogo com os índios, o que o partido nacionalista (PRI) nunca fez.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.