‘Mexeu com um, mexeu com todos'

Advogados se unem em críticas à Lava Jato

Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2017 | 05h00

Em campos opostos nos tribunais, advogados de Michel Temer, Dilma Rousseff, Aécio Neves e Luiz Inácio Lula da Silva se juntaram neste domingo, 21, em uma só causa: criticar a condução da Operação Lava Jato.

Convidado para um jantar em São Paulo em desagravo aos defensores de Lula, o criminalista Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, defensor e amigo de longa data de Temer, puxou a fila das críticas ao juiz Sérgio Moro.

“Esse homem, que deve ter suas qualidades, tem defeitos como magistrado incompatíveis com a magistratura. Falta-lhe algo que se chama imparcialidade.” Sem citar Moro diretamente, Mariz disse que já ouviu do juiz que “advogado atrapalha”.

Foi a deixa para José Eduardo Cardozo, ex-ministro da Justiça e advogado de Dilma no impeachment. “Se alguém acha que nós (advogados) atrapalhamos, atrapalhamos o arbítrio e a desonra do Estado de Direito.”

O evento, em um restaurante na zona sul da capital, foi organizado por Alberto Toron, advogado de Aécio na Lava Jato. O anfitrião deu o tom do encontro. “Mexeu com um, mexeu com todos.”

Para entrar, cada convidado desembolsou R$ 150, e teve como opção de prato carne, peixe ou uma massa com frutos do mar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.