'Meu tempo de clandestino já acabou', diz José Dirceu

Ex-ministro da Casa Civil disse que vai participar da campanha de Dilma sempre que lhe for demandado

Clarissa Oliveira, da Agência Estado,

18 Fevereiro 2010 | 12h02

Prestes a retornar ao diretório nacional do PT, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu avisou nesta quinta-feira, 18, que vai participar, sempre que lhe for demandado, da campanha da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência da República. "Eu já fiquei na clandestinidade por 10 anos. Meu tempo de clandestino já acabou", disse Dirceu, ao chegar ao 4º Congresso do PT, em Brasília.

 

Veja também:

link PT realiza Congresso para sacramentar candidatura de Dilma

Questionado se não vê algum risco de tirar votos da petista, Dirceu afirmou: "Não tiro voto da Dilma e não acredito que ninguém da direção partidária lhe tire votos". Sobre as articulações que vem comandando em prol da campanha de Dilma, Dirceu disse que viajou 70 vezes, no ano passado, a vários Estados a fim de ajudar nas negociações de alianças.

Ele aproveitou também para falar sobre as expectativas em torno de uma possível candidatura do deputado Ciro Gomes (PSB-CE) para a Presidência da República. Chamado por Ciro de "golpista", em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Dirceu manteve o tom diplomático em relação ao parlamentar. Disse que Ciro tem todas as condições de ser candidato e avaliou que o deputado não atrapalhará o crescimento da candidatura de Dilma. Questionado sobre o potencial eleitoral da ministra, o ex-chefe da Casa Civil arrematou: "Ela é do PT, é mulher, é socialista, é de esquerda. Tem todas as condições de ser candidata".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.