Metrô de SP recorre da decisão sobre reajuste salarial

A Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) recorreu da decisão do presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Francico Fausto, que determinava o reajuste de 18,13% aos metroviários, parcelado em três vezes: 12,13% pago imediatamente, 3% em janeiro de 2004 e 3% em março de 2004. O procurador-geral do estado de São Paulo, Elival da Silva Ramos, também recorreu da decisão. Ele ingressou com uma ação cautelar no Supremo Tribunal Federal, com pedido de liminar, para suspender a decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (SP) - e mantida pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST). O procurador pediu urgência no julgamento. Ontem, o presidente do STF, ministro Maurício Corrêa, recebeu o presidente do sindicato dos metroviários, Flávio Godoi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.