Métodos são diferentes, diz Ibope

A diretora-executiva e de planejamento do Ibope, Márcia Cavallari, admitiu que, por conta das características específicas do Rio e do perfil dos eleitores, é possível a ocorrência de uma onda que beneficie o candidato verde na última semana de campanha do primeiro turno. Ela disse que o maior patrimônio do instituto é a credibilidade. "A pesquisa do Ibope reflete o que foi ouvido dos entrevistados. Ninguém tem interferência nos resultados delas", disse.Para ela, diversos fatores podem ter contribuído para os resultados. O principal deles seria a diferença de métodos. Enquanto o Ibope entrevista as pessoas em casa, o Datafolha o faz em locais de grandes aglomerações. "Nós entramos em favelas, daí a razão para estarmos achando o Crivella com 24%." Mas lembrou que, no limite dos intervalos de confiança (isto é, levando-se em conta as margens de erro), os resultados se assemelham.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.