Metalúrgicos querem rediscutir taxação de inativos e teto

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC pretende debater com o governo federal três pontos da proposta de reforma previdenciária - taxação dos inativos, aumento da idade para aposentadoria e valor do teto da aposentadoria. De acordo com o presidente do sindicato, Luiz Marinho, são questões pontuais para os sindicalistas, em particular para a Central Única dos Trabalhadores."Queremos debater com o governo e estamos abertos à discussão, mas consideramos inaceitável o patamar de R$ 2.400 que o governo apresentou para o teto das aposentadorias", disse Marinho. "É um valor muito baixo, queremos aumentar para R$ 4.800". Ao contrário da CUT, a Força Sindical apóia o teto proposto pelo governo.No final de semana, o presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, em comentário informal sobre os dois valores, disse que poderia se chegar a um consenso em torno dos R$ 3.600, sugerindo um valor intermediário. "Se for apresentada uma proposta oficial, passamos a ter uma opção. Considero R$ 3.600 um bom valor, mas não creio que o governo vá mudar o patamar", disse Marinho. Ele acredita que não haverá tempo para os sindicalistas discutirem esses três pontos com o governo, pois a proposta deve ser encaminhada ao Congresso Nacional no dia 30. "Me parece que as negociações finais dos sindicalistas serão feitas no Congresso Nacional." Veja o índice de notícias sobre as reformas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.