Mesmo sem mandato, Bornhausen deu passagens do Senado à mulher e ao genro

Sem mandato, mas voando pela cota do Senado. Mesmo afastado da vida parlamentar desde 2007, o ex-presidente do DEM Jorge Bornhausen (SC) e seus familiares usaram passagens aéreas pagas pelo Congresso Nacional para viajar. Registros de companhias aéreas obtidos pelo site Congresso em Foco revelam que o ex-senador usou o benefício para bancar 13 voos entre novembro de 2007 e outubro de 2008. Além dele, voaram a mulher, o genro e um funcionário do casal.De acordo com o site, o próprio Bornhausen voou sete vezes com a verba do Senado depois de concluir o mandato de senador. As viagens foram feitas nos trechos Florianópolis-São Paulo, São Paulo-Florianópolis, Florianópolis-Brasília e Florianópolis-Chapecó (SC).O ex-jogador de futebol Renato Sá, genro do ex-senador, também usou a cota de Bornhausen. Casado com Fernanda Bornhausen, o ex-ponta-esquerda, campeão brasileiro pelo Grêmio em 1981, viajou de Florianópolis para Chapecó, no oeste de Santa Catarina. Segundo o site, o ex-presidente do DEM disse que tem "direito adquirido" para usar o crédito acumulado nas companhias aéreas como bem entender. "A cota pessoal foi transformada em crédito para ser utilizada de acordo com o direito adquirido que eu tenho", disse Bornhausen ao Congresso em Foco. Dois netos de Bornhausen viajaram para Nova York, mas às custas da Câmara, e não do Senado. Nesse caso foi usada a cota do deputado Paulo Bornhausen (DEM-SC). Ele disse ao Congresso em Foco que devolveria o dinheiro caso a Câmara exigisse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.