Mesmo com reunião, não deve haver votação na Câmara

Os líderes dos partidos governistas se reuniram na noite desta terça com o líder do governo na Câmara, deputado Professor Luizinho (PT-SP), e o presidente da Casa, deputado João Paulo Cunha (PT-SP), para tentar resolver o impasse na base aliada a fim de retomar as votações. O encontro não foi conclusivo e, apesar da promessa do governo de liberar R$ 600 milhões em recursos de emendas individuais dos parlamentares ao Orçamento, a expectativa é de que nesta quarta não ocorram votações na Câmara."A burocracia do governo está provocando toda essa confusão na Câmara. Dificilmente os aliados (do governo) vão tomar qualquer decisão enquanto o dinheiro não aparecer", afirmou o vice-líder do governo na Câmara Beto Albuquerque (PSB-RS). Os partidos da base, à exceção do PT, deverão manter, na sessão de hoje da Câmara, manter-se em obstrução, impedindo votações no dia de hoje. "A insatisfação é grande", disse o líder do PTB, deputado José Múcio Monteiro (PE).Antes de entrar na reunião de ontem, João Paulo declarou: "Falta ao governo fazer um planejamento de liberação das emendas (ao Orçamento). Essa liberação, prometida pelo governo, vai ajudar politicamente a distensionar a base".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.