André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Mesmo com posse de Cristiane Brasil suspensa, convidados chegam ao Planalto

Alguns prefeitos do reduto eleitoral de Roberto Jefferson e estiveram no Planalto, mas não foram autorizados a entrar

Carla Araújo, O Estado de S. Paulo

09 Janeiro 2018 | 16h59

Mesmo com a indefinição sobre a posse da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) como ministra do Trabalho, alguns convidados para a cerimônia que seria às 15 horas chegaram ao Palácio do Planalto, mas não foram autorizados a subir. Prefeito do município de Levy Gasparian (RJ), Valter Lavinas, do PTB, disse que acreditaria que o governo derrubaria a liminar que impedia a posse e que continuaria em Brasília pelo menos até amanhã para tentar participar da cerimônia.

Outro prefeito fluminense, reduto eleitoral de Cristiane e seu pai Roberto Jefferson, Jauldo Neto (PHS), prefeito de Engenheiro Paulo de Frontin (RJ) disse que não via nenhum "dispositivo legal" que impeça a deputada de assumir o cargo e minimizou os problemas de Cristiane Brasil com a Justiça do Trabalho.

++ 'Ela está pagando o preço por ser minha filha', diz Roberto Jefferson

++ Leia a decisão que veta recurso da AGU por Cristiane em Ministério

++ Governo vai recorrer ao STF para tentar manter posse de Cristiane Brasil

++ TRF-2 nega recurso da AGU e mantém suspensa posse de Cristiane Brasil

"Você deve ter empregada. A gente corre risco todos os dias, a gente não sabe o que passa na cabeça do ser humano. às vezes a pessoa que você mais ajuda é a que mais te decepciona", afirmou à reportagem. Segundo Jauldo Neto, os problemas judiciais de Cristiane são muito pequenos. "Se fosse um roubo, mas uma divida trabalhista, que ela já está pagando", reclamou, argumentando que quando alguém já começa a quitar uma dívida no banco, por exemplo, a pessoa já deixa de ser considerado inadimplente.

O deputado Altineu Cortes (PMDB-RJ) também foi um dos que chegou ao Planalto para a posse, que não aconteceu. "Se a posse não for hoje eu espero que aconteça amanhã", disse. Convidado como um amigo da família de Petrópolis, o presidente do Sindicato Nacional das Cooperativas de Crédito (SINACRED), Ricardo Blanc, afirmou à reportagem que veio "aplaudir e apoiar" a família e que, mesmo tendo previsão de retorno para o Rio de Janeiro hoje, pretende voltar a Brasília em qualquer dia que a posse for remarcada. "Se for amanhã, eu volto amanhã", afirmou.

 

Conversas . Depois do revés de ver o pedido de derrubada de liminar indeferido, Temer reuniu-se com Cristina Brasil e Roberto Jefferson. Até o momento, auxiliares do presidente dizem que ele "tem um compromisso com o partido" e que se tiver alguma mudança teria que partir do partido. Apesar disso, o governo vai recorrer ao STF e tentar manter a nomeação de Cristiane. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.