Mesmo com crise, Argentina sobe uma posição no IDH

Mesmo com a crise econômica que atinge a Argentina, o país ainda conseguiu subir uma posição no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU), passando da 35ª para a 34ª posição.A população argentina ainda vive, segundo a ONU, bem melhor do que a brasileira. Os dados são claros: enquanto o PIB per capita brasileiro foi estimado em US$ 7.037, em 1999, o dos argentinos ficou em US$ 12.277.Na Argentina, a expectativa de vida é de 72,9 anos de idade. No Brasil, 67 anos.Na educação, os dados impressionam. Apenas 4% dos argentinos são analfabetos, enquanto 15% dos brasileiros não sabem ler.O bom desempenho argentino ocorreu devido a um significativo aumento dos gastos públicos no setor. Há dez anos, o governo de Buenos Aires destinava 1,4% do PIB à educação. No final da década, o volume passou para 3,5% do total do PIB.De acordo com o relatório, o Brasil também foi superado em qualidade de vida por outros cinco países da América Latina. O Uruguai, que ocupa a 37ª colocação, Chile (39ª), Venezuela (61ª) Colômbia (62ª) e Suriname (64ª).Os únicos países da região que estão atrás são o Peru, que ocupa o 73º lugar, o Paraguai (80º), o Equador (84º) e a Bolívia (104º).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.