Quétila Ruiz
Quétila Ruiz

Mesmo com alteração no decreto, comércio reabre tímido em Porto Velho

Segundo o governador Marcos Rocha, os 'segmentos do setor produtivo não podem parar'

Quétila Ruiz, especial para o Estado

27 de março de 2020 | 17h59

PORTO VELHO - Na noite da última quarta-feira, 25, o governador de Rondônia, Marcos Rocha (PSL), assinou decreto liberando o funcionamento parcial do comércio em todo o Estado. De acordo com o decreto nº 24.887 de 20 de março de 2020, estavam funcionando apenas farmácias, supermercados, panificadoras e demais estabelecimentos considerados essenciais ao atendimento.

Já com a nova medida, voltam a funcionar indústrias, obras e serviços de engenharia, oficinas mecânicas, autopeças, hotéis e hospedarias. Escolas estaduais continuam com suas aulas suspensas. Segundo Marcos Rocha, os “segmentos do setor produtivo não podem parar”.

O prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, anunciou na quinta-feira, 26, que, assim como fez o governador, ele também iria flexibilizar o decreto que regula atividades comerciais na capital. No momento ele deve liberar a abertura de funerárias, comércio de produtos de agroindústria, obras e serviços de engenharia, manutenção e limpeza, hotéis e hospedarias, escritórios de contabilidades, materiais de construção, restaurantes que ficam às margens de rodovias e borracharias.

Mesmo com essa flexibilidade, o comércio na capital segue tímido no centro nesta sexta-feira, 27. Já nos bairros periféricos, é possível ver um comércio mais ativo entre os pequenos comerciantes e vendedores autônomos. O sapateiro Altamiro da Silva relatou que mesmo com o antigo decreto já estava com seu estabelecimento aberto. “Não tenho outra renda. Se ficar fechado, não vou ter como pagar as contas. Então continuo aberto, trabalhando com os poucos serviços que aparecem”, disse.

O maior movimento está sendo registrado nas agências bancárias e lotéricas de Porto Velho. Com a restrição no número de pessoas dentro das agências, enormes filas se formam do lado de fora dos locais. A dona de casa Rosa de Carvalho diz que saiu de sua residência apenas para fazer um saque. “Meu marido tem de trabalhar, então eu estou resolvendo algumas coisas na rua pra ele. Vim aqui para sacar um dinheiro e já volto pra minha casa, cuidar das crianças. Mas a fila está demorando. Quando meu esposo chegar do trabalho, ele vai direto tomar banho e ficar dentro de casa com a gente”, contou.

Até a tarde desta quinta-feira, 26, Rondônia possuía seis casos confirmados de covid-19, 219 descartados e 717 notificados. Outros prefeitos já sinalizaram a modificação de seus decretos, seguindo a linha do governador Marcos Rocha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.