Mesas de diálogo inovam Fórum Social Mundial

Em Porto Alegre, os delegados deorganizações e do movimento social no Fórum Social Mundial (FSM) que começa na quinta-feira e prossegue até o dia 28, discutirãocom convidados e partidos, governos e a Organização das NaçõesUnidas (ONU) temas polêmicos e atuais nas mesas de diálogo econtrovérsia, a principal novidade na metodologia do evento esteano. Personalidades como o ex-presidente de Portugal MárioSoares, o ex-ministro da Fazenda Rubens Ricupero e o presidentenacional do PT, deputado José Genoino (SP), estão entre osdebatedores dos assuntos escolhidos para esta edição: "Lacunase Tensões Entre Movimentos Sociais, Alternativas Frente à Criseno Capitalismo, Como o Mundo Deve ser Governado e Como Construira Paz". Os comitês nacional e internacional do Fórum SocialMundial esperam um público de 100 mil participantes, de 121países. As 4.962 entidades inscritas serão representadas por29.704 comissários. A maior concentração de público deve ocorrerna Marcha Pela Paz, que abre o Fórum Social na tarde dequinta-feira. Depois, os enviados se distribuirão entre 11conferências, 62 painéis, quatro mesas de diálogo econtrovérsias, 38 testemunhos, 1.710 oficinas e seminários. Todas as atividades estão vinculadas aos cinco eixoscentrais deste ano, que são Desenvolvimento e Democrático eSustentável; Princípios e Valores, Direitos Humanos, Diversidadee Igualdade; Mídia, Cultura e Contra-Hegemonia; Poder Político,Sociedade Civil e Democracia, e Ordem Mundial Democrática,Combate à Militarização e Promoção da Paz. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva será a principalestrela deste ano. Também participam os escritores Adolfo PerezEsquivel e Eduardo Galeano, o lingüista Noam Chomsky e aatriz inglesa Emma Thompson, cuja presença ainda não estáconfirmada, além de outros nomes conhecidos do grande público.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.