Mesa do Senado quer regulamentar escritórios estaduais

Pela proposta, ainda em estudo, só poderão trabalhar nos Estados funcionários comissionados do Senado

EUGÊNIA LOPES, Agencia Estado

07 de julho de 2009 | 18h54

A Mesa Diretora do Senado decidiu em reunião nesta terça-feira, 7, que será feito um projeto para regulamentar o escritório estadual dos senadores. Pela proposta, ainda em estudo, só poderão trabalhar nos Estados funcionários comissionados do Senado e os senadores terão de fazer um controle de frequência desses servidores.

 

Veja também:

especialESPECIAL MULTIMÍDIA: Entenda os atos secretos e confira as análises

trailer Galeria: vista aérea da casa particular de José Sarney na Península dos Ministros 

lista Confira a lista dos 663 atos secretos do Senado

documento Leia a íntegra da defesa do presidente do Senado

lista O ESTADO DE S. PAULO: Senado acumula mais de 300 atos secretos

lista O ESTADO DE S. PAULO: Neto de Sarney agencia crédito no Senado 

A Mesa também decidiu anular um ato secreto que aumentou os salários dos chefes de gabinetes das secretarias. Segundo o primeiro-secretário do Senado, senador Heráclito Fortes (DEM-PI), não foi até agora detectado nenhum servidor que tenha sido beneficiado por esse aumento. Ao todo, são 40 chefes de gabinete de secretarias. "Se algum servidor tiver recebido esse aumento, terá de haver ressarcimento", disse o diretor-geral do Senado, Haroldo Tajra.

Foi definido ainda um novo valor para o auxílio-alimentação dos funcionários terceirizados do Senado e nomeado o novo conselho de supervisão do sistema integrado de saúde, que será presidido pelo senador Marconi Perillo (PSDB-GO).

Tudo o que sabemos sobre:
SenadoescritóriosEstados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.