Mesa decide sobre caso Renan semana que vem

Senadores irão definir se representação envolvendo peemedebista e Schincariol vai ou não ao Conselho de Ética

Rosa Costa, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2003 | 00h00

A Mesa Diretora do Senado decidirá na semana que vem se o presidente da Casa, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), deve responder à nova representação do PSOL. O partido pede que o Conselho de Ética investigue a denúncia de que a Schincariol teria pago R$ 27 milhões pela fábrica de refrigerante pertencente ao irmão de Renan, deputado Olavo Calheiros (PMDB-AL). Em troca, o senador teria beneficiado a empresa junto ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e à Receita Federal.Caberá ao primeiro vice-presidente do Senado, Tião Viana (PT-AC), convocar os colegas da Mesa. A iniciativa repete o que ocorreu na véspera do recesso, quando Renan passou a se considerar impedido de analisar iniciativas contra ele. Sua decisão foi uma resposta às críticas por tentar manobrar as atividades do Conselho de Ética e do próprio Senado a seu favor. Viana explicou que caberá à maioria dos integrantes da Mesa decidir pela admissibilidade da denúncia. Se considerarem que há indícios procedentes, eles encaminharão a representação ao conselho, que já examina a suspeita de que Renan teria contas pessoais pagas pela empreiteira Mendes Júnior. A representação contra o recém-empossado senador Gim Argello (PTB-DF) também terá andamento na próxima semana. A denúncia, feita igualmente pelo PSOL, foi encaminhada ontem por Renan à Advocacia-Geral do Senado. O parecer vai nortear a decisão da Mesa. Argello é acusado de envolvimento no desvio de recursos do Banco Regional de Brasília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.