Mesa da Câmara reajusta cota parlamentar em 7,76%

Integrantes da cúpula da Câmara estabeleceram nesta quarta-feira, 18, um reajuste de 7,76% no valor da cota parlamentar dos deputados, que entrará em vigor a partir de janeiro de 2014. O impacto estimado aos cofres da Casa com o reajuste é de 16 milhões no próximo ano, aproximadamente R$ 1,3 milhão por mês. O aumento da cota é o segundo concebido pelos integrantes da cúpula da Câmara neste ano e ocorreu na última reunião prevista para 2013. O primeiro reajuste ocorreu logo após o deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) assumir o comando da Casa, em março.

ERICH DECAT, Agência Estado

18 Dezembro 2013 | 20h41

Após a reunião de hoje, Alves não quis comentar o reajuste. Os integrantes da Mesa, no entanto, utilizaram a elevação do custo das passagens aéreas ocorrida no início do ano como justificativa para o aumento.

O valor da cota, criada em 2009, varia de Estado para Estado. O menor valor atualmente, de R$ 25.962,94, é pago aos deputados do Distrito Federal. E o maior R$ 38.616,18 para os representantes de Roraima. Presidentes ou vice-presidentes de Comissão Permanente e líderes e vice-líderes partidários recebem mensalmente um adicional de R$ 1.244,54.

Além da passagem aérea, a cota pode ser utilizada para cobrir gastos com telefonia, manutenção de escritórios de apoio à atividade parlamentar, locação de móveis e equipamentos, acesso à Internet, assinatura de publicações, alimentação do parlamentar e hospedagem. Parlamentares do Distrito Federal não têm direito ao último.

Mais conteúdo sobre:
Câmara cota

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.