Mesa da Câmara aprecia amanhã casos Guadagnin e Janene

A Mesa da Câmara deverá aprovar amanhã em reunião comandada pelo presidente da Casa, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), a censura verbal à deputada Ângela Guadagnin (PT-SP), que dançou no plenário da Câmara em comemoração à absolvição do deputado João Magno (PT-SP). O deputado foi acusado de envolvimento no mensalão e admitiu ter usado caixa 2 em duas campanhas eleitorais.O corregedor da Casa, deputado Ciro Nogueira (PP-PI), concluiu que a deputada teve comportamento inadequado no plenário que refletiu negativamente na imagem da Câmara e na de cada um dos parlamentares, porque a sociedade associa a descompostura de um à de todos. Além disso, o corregedor entendeu que o "excesso" de Ângela ao expressar sua alegria com dança foi incompatível com a posição de integrante do Conselho de Ética da Casa, porque ela foi juíza do mesmo processo no colegiado.JaneneNa reunião de amanhã, a Mesa deverá também acatar o resultado da consulta feita à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) negando a aposentadoria ao deputado José Janene (PP-PR). Aldo Rebelo enviou consulta à CCJ para saber se o processo de cassação contra o deputado do PP se encerraria com a aposentadoria por invalidez do parlamentar. O parecer do relator, deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), aprovado na semana passada pela CCJ, conclui que o presidente não deve aposentar Janene e que o processo do deputado continua tramitando na Casa.Janene não teve sucesso também no Supremo Tribunal Federal. Ele pediu a suspensão do processo de cassação, mas não lhe foi concedida a liminar (decisão de caráter provisório) para interromper o andamento do processo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.