Mercado agiu de forma "perniciosa e equivocada", diz Marta

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, disse hoje que o mercado "agiu de maneira perniciosa e fez uma interpretação desproporcional, equivocada e desnecessária" da decisão da prefeitura de optar em não pagar parcela de R$ 3 bilhões de amortização da dívida com a União. O não pagamento desta parcela estava previsto no contrato de refinanciamento da dívida. Marta pediu ainda que se tenha cuidado para "não falar bobagens", referindo-se à imprensa e ao mercado. A prefeita explicou que o município tinha esta opção e que, como 13% do Orçamento mensalmente é comprometido com o pagamento de parcelas da dívida, não é possível fazer uma poupança para se pagar a amortização extraordinária. O impacto, segundo ela, será o aumento dos juros computados na extensão da dívida. "O impacto será sentido daqui a 30 anos. Devemos conversar com o novo governo sobre isso", afirmou. Marta reiterou que esta decisão não afetará o pagamento dos 13% mensais da dívida da cidade com o governo de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.