Mercadante reafirma pedido para que Sarney se licencie

'Reafirmo pedido de licença do senador Sarney', declarou o senador paulista

04 de agosto de 2009 | 16h30

Aloizio Mercadante, líder do PT no Senado, declarou por meio de seu Twitter que a posição da bancada petista em relação ao escândalos no Senado é a mesma: querem que José Sarney se afaste do cargo de presidente da Casa.

 

Veja também:

video O bate boca entre Renan Calheiros e Pedro Simon

video Fernando Collor manda Pedro Simon engolir o que disse

linkSarney diz que ação contra 'Estado' foi decisão de seu filho

linkPossibilidade de deixar cargo 'não existe', diz presidente

especialNas páginas do Estadão, a luta contra a censura

linkCensura não intimidou em 68 e jornal foi apreendido

 

Em uma reunião no início desta tarde, senadores do PT, PSDB , DEM, PDT e PSB decidiram juntar suas forças com o objetivo de afastar José Sarney da presidência do Senado. A ação desta vez não seria por meio de discursos no plenário e sim por meio de uma nota assinada em conjunto pelos cinco partidos. O fechamento do acordo ainda dependia da aprovação do senador Antonio Carlos Valladares (PSB-SE) e de Mercadante, que iria consultar a base de seu partido para firmar uma posição. Momentos depois o líder petista escreveu em seu Twitter que debateu a questão com outros senadores petistas e a posição de pedir o licenciamento de Sarney foi mantida.

 

"Nenhum senador pediu para rever a posição da bancada, já expressa em notas divulgadas antes. Reafirmo pedido de licença do senador Sarney", declarou o senador Aloisio Mercadante. Por meio de seu micro-blogging, o líder do PT no Senado vem dividindo suas postagens sobre a nova Lei de Adoção e sobre os escândalos no Senado. Já no último dia 15 de julho ele deixou claro seu posicionamento: "Muitos pedem resposta sobre Sarney, não dá para responder 1 por 1. Mas reforço minha posição. Defendo licença de 30 dias para q tudo seja apurado."

 

Por meio do Twitter, Mercadante inclusive falou sobre a discordância entre o presidente Lula e a bancada petista no Senado em relação ao escândalos sobre Sarney no Senado. "O pres. Lula não concorda com a licença pois acha que dificilmente Sarney retornaria para o comando do Senado e sua saída aumentaria a crise" escreveu Mercadante no dia 3 de julho. Logo depois justificou a posição contrário ao presidente que ele e seus colegas adotaram: "Reiteramos para o pres. que a licença de Sarney seria um gesto de grandeza, para garantir transparência às investigações."

 

Agora, para que acordo entre os partidos seja mantido e a nota assinada em conjunto pedindo o afastamento de José Sarney da presidência do Senado seja emitida, falta a aprovação do senador Antonio Carlos Valladares (PSB-SE).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.