Mercadante quer trabalhar com hackers que atacaram sites do governo

Ministro minimizou gravidade dos ataques ocorridos na semana passada e disse que ativistas podem ajudar a modernizar os portais do Planalto

Wladimir D'Andrade, da Agência Estado

27 de junho de 2011 | 16h25

O ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, minimizou nesta segunda-feira, 27, os ataques cibernéticos sofridos pelo governo na semana passada e abriu até a possibilidade de chamar hackers para trabalhar para o ministério, em projetos de transparência de dados e de sites. Ele disse que os danos dos ataques "foram muito pequenos", sem a violação de dados relevantes. "Existem dois tipos de operadores. Os hackers são os jovens talentosos e criativos que eu, inclusive, quero levar para o Ministério. Quero convidá-los para um 'hacker's day'", disse.

Mercadante contou que pretende dar "transparência total" ao Ministério, disponibilizando ao público todos os dados relativos a gastos e decisões. "Quero chamar os hackers para eles ajudarem a construir os indicadores e a forma de transparência. Quero fazer o Ministério da Ciência e Tecnologia uma referência no ponto de vista do acesso e da transparência de informações", disse. Afirmou ainda que gostaria de ouvir as opiniões dos hackers a respeito da modernização de novos portais da pasta. "Eles são jovens talentosos que mudam a tecnologia o tempo inteiro e que nós temos que dialogar."

De acordo com Mercadante, enquanto os hackers ajudam a construir e modernizar os sistemas, os crackers utilizam os ataques para espalhar uma mensagem política ou mesmo pelo "prazer do desafio". "Os ataques da semana passada mostram que a gente precisa investir e se preparar para ter uma estrutura de defesa mais articulada e eficiente", afirmou. "Temos que saber nos proteger."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.