Mercadante quer recuperar São Paulo como locomotiva do Brasil

O senador Aloizio Mercadante (PT-SP) disse hoje que sua principal bandeira para a disputa do governo de São Paulo será a de recuperar o papel do Estado como locomotiva do Brasil. De acordo com ele, em 12 anos de governo do PSDB (gestões de Mario Covas e Geraldo Alckmin), São Paulo cresceu abaixo da média nacional em 10 deles."Para se ter uma idéia, a indústria paulista, entre 1996 e 2003, cresceu apenas 18%, e outros Estados da federação, 78%. Com isso, São Paulo vem perdendo a liderança e seu papel como locomotiva do País. Eu quero recuperar esse papel", afirmou. Ele acrescentou que o Estado precisa gerar emprego, impulsionar o desenvolvimento e com isso gerar mais receitas para melhorar a educação, a saúde e a segurança pública. "Estes são grandes entraves hoje para a qualidade de vida e a segurança das famílias", disse durante encontro do PT estadual para debates sobre a escolha do nome do partido à sucessão do governo do Estado.O evento, realizado no Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo, terá a participação também da ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy, no período da tarde. De acordo com pesquisa Ibope divulgada na sexta-feira passada, Mercadante teria 8% das intenções de voto para governador, contra 57% do ex-prefeito José Serra (PSDB), enquanto Marta teria 18% dos votos, ante 52% de Serra.Após a definição do candidato petista (a prévia do partido está marcada para 7 de maio), a estratégia do PT será a de apresentar todas as realizações do governo Lula no Brasil e no Estado, segundo Mercadante. "Estabilizamos a economia, estamos com o menor custo da cesta básica desde a criação do Plano Real, temos o melhor salário mínimo dos últimos 20 anos, criamos cinco vezes mais empregos com carteira de trabalho assinada em três anos do que o governo anterior em oito anos, dobramos as exportações, tiramos o país do FMI, reduzimos a dívida externa e o programa Bolsa Família vai atingir 11 milhões de casas até o final do ano", enumerou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.