Mercadante quer prazo para cargo de confiança

Uma resolução do Tribunal de Contas da União, que estipula como seis anos o prazo máximo para o exercício contínuo da mesma função de confiança, servirá como munição para o líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante (SP), tentar limitar a permanência do diretor-geral da Casa. Mercadante quer aproveitar a saída de Agaciel Maia, depois de 14 anos no posto, para apresentar a proposta, que enfrenta resistência no Senado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.