Mercadante propõe ?esforço concentrado? no Congresso

O líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), está propondo um acordo entre os partidos políticos para que seja realizado um "esforço concentrado" no Congresso até o dia 15 de julho para que possam ser votadas as propostas da agenda econômica em tramitação na Câmara e no Senado. A prorrogação dos trabalhos até 15 de julho é defendida também por ministros políticos do governo. A iniciativa evitaria a convocação extraordinária do Congresso durante o recesso parlamentar, uma medida que não contaria com o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Se houver boa vontade dos partidos, poderemos votar toda a agenda econômica em 15 dias", afirmou Mercadante. "Não podemos jogar essa pauta para depois das eleições municipais." Na avaliação do líder do governo, até mesmo o projeto que trata da Parceria Público-Privada (PPP), que ainda depende de negociação no Senado, poderá ser votado na primeira quinzena de julho. Além disso, o senador acha que é possível concluir a votação de outras propostas, como as mudanças na Lei de Falências e no setor de informática, e o projeto da Biossegurança, que ele considera "inadiável". Mercadante sugere também a realização, em agosto, de outro "esforço concentrado", para votar outras matérias de interesse nacional, sobretudo as que ainda dependem de deliberação da Câmara, como as medidas que estimulam investimentos na área da construção civil, importantes para incentivar investimentos. "É uma agenda essencial para o desenvolvimento e não pode ser postergada", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.