Mercadante não prevê crise com derrota de Marta

O líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), preferiu não polemizar diante das declarações da prefeita de São Paulo e candidata à reeleição, Marta Suplicy, de que haverá uma crise política no País em caso de vitória da oposição nas eleições da capital paulista.O senador ressaltou que nem o PT nem ele trabalham com o cenário de derrota do partido, em São Paulo. "A Marta vem liderando nas principais pesquisas de opinião e foi a candidata que mais cresceu. Acho que o risco de crise está superado pela vitória nas eleições", comentou, durante visita a Ribeirão Preto e região, nesta quarta-feira.Mesmo sem endossar diretamente as advertências de Marta, o senador petista aproveitou para criticar o governador Geraldo Alckmin e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, ambos do PSDB. Mercadante sinalizou que, mesmo em caso de derrota do PT, os opositores não ficariam sem a atenção devida do governo federal, ao contrário do que teria acontecido nas gestões de seu partido no governo FHC. "O Palocci governou muito tempo a cidade (de Ribeirão Preto) sozinho. É só olhar as parcerias que a cidade tem hoje e olhar para trás", apontou."A Marta, por sua vez, recebeu R$ 1,2 bilhão, financiamento aprovado desde Fernando Henrique Cardoso, mas que não se viabilizou durante aquele governo", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.