Mercadante: intervenção de Lula não é fraqueza de Dilma

O ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, disse hoje que a intervenção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na crise que envolve o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, não é uma demonstração de fragilidade do governo da presidente Dilma Rousseff.

ANNE WARTH, Agência Estado

26 de maio de 2011 | 16h51

Após participar do seminário "Brasil do diálogo, da produção e do emprego", Mercadante disse que Lula é uma liderança fundamental e respeitada por todos. "Ele tem o direito de participar da vida pública do País. Não sei nem se ele foi chamado (por Dilma)", disse, sem completar a explicação.

Mercadante afirmou que Lula tem "grande audiência onde quer que vá". "O ex-presidente tem sido bastante cuidadoso em seus pronunciamentos e intervenções. Todo mundo quer falar com o Lula. Para onde ele vai, sempre tem grande audiência".

Questionado sobre as denúncias envolvendo Palocci, e se ele acreditava que o ministro teria de dar explicações, Mercadante encerrou a entrevista sem responder à pergunta. "Vim aqui para falar como ministro da Ciência e Tecnologia", limitou-se a dizer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.