Mercadante evita acirrar ânimos com Marta

O senador Aloizio Mercadante (PT) evitou, neste domingo, acirrar os ânimos com a ex-prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, em relação à disputa para a candidatura ao governo de São Paulo, dizendo que, independentemente de quem for o escolhido pelo partido, receberá o apoio de todo PT. No início de sua explanação, durante encontro do PT Estadual na capital paulista, o senador disse brincando que uma das condições par ser governador de São Paulo é ser santista. "Mário Covas era santista. Geraldo Alckmin também", disse, ressaltando que para o cargo de presidente da República é preciso ser corintiano. "Futuramente, nós (ele e Marta) estaremos juntos. O partido sai unificado por que esta é uma campanha construtiva e respeitosa. A militância escolherá seu candidato e todos estarão no dia seguinte fazendo campanha", disse o senador, reforçando que esta tem sido a história do PT. De acordo com Mercadante, ele tem a preferência, na disputa ao governo do Estado, de grande parte do partido e do próprio presidente Lula. "Todos os ministros e o próprio presidente têm dito ao seus interlocutores que sua preferência é por minha candidatura", ressaltou.Mercadante afirmou ainda que possui o apoio da maioria das bancadas federal e estadual e que, de 471 vereadores, cerca de 370 já manifestaram apoio à sua candidatura. "Devemos chegar a 400 em breve", estimou. Ele também disse que, dos 18 coordenadores de região do PT no interior, 16 já indicaram preferência a ele e que, na última sexta-feira, realizou plenária com mais de 3 mil militantes. "Isso expressa a força da nossa militância. Estamos bastante entusiasmados para vencer a prévia a partir de 7 de maio", comentou.O evento, que conta com a participação do senador, ocorre na sede do Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo e deve contar também com a presença de Marta Suplicy no período da tarde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.